Este é um blogue instrumental, feito sem veleidades. Penso nos meus alunos e na forma de o usar para lhes ser útil: experiência que se quer alimentada de experiências... e de invenções dos tempos que não temos tempo para ter...
7.3.11

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Esteve no Teatro Gil Vicente de Coimbra até 13 de Fevereiro último.

 

Deixo para espreitarem.

 

Quem disse que a História só fala de coisas mortas...passadas...?!

 

 

http://blogtagv.blogspot.com/2011_01_01_archive.html

 

 

link do postPor temposnotempo, às 11:42  comentar

1.3.11

 

Ainda há pouco tempo esteve no CAE uma Exposição de trabalhos e publicações surrealistas.

 

http://aeiou.escape.expresso.pt/cartaz-exposicoes/debout-sur-l-oeuf-edicoes-surrealistas-miguel-de-carvalho:16-1141502

 

Existe na Figueira da Foz, aliás, um grupo de artistas surrealistas que tem promovido sessões de intervenção e que esteve ligado à organização da Exposição que vos refiro.

 

 

 

 

Os membros da "Secção do Cabo Mondego do Grupo Português Surrealista" (Cabo Mondego Section of Portuguese Surrealism)numa sessão de intervenção em Aveiro - Seixas Peixoto, Miguel de Carvalho, Rik Lina e João Rasteiro.

 

http://triplov.com/Surrealismo-atual/Pedreira/index.html

http://www.triplov.com/Miguel_de_Carvalho/Imprensa/2009/Figueirense.htm

 

 

Tudo começou nos anos 20 do século XX. O Manifesto Surrealista de 1924 estabeleceu as ideias principais deste movimento artístico que começando na literatura - poesia, teatro, romance -, rapidamente alastrou para as artes plásticas (pintura e escultura) e o Cinema, sobretudo.

 

Deixo-vos alguns exemplos complementares aos que trabalhámos:

 

Salvador Dali, Premonição (1936)

 

 

Salvador Dali, A Mão (1930)

 

 

Salvador Dali, Sonho Causado Pelo Voo de uma Abelha ao Redor de Uma Romã um Segundo Antes de Acordar (1944)

 

 http://andnowforsomethingcompletelysimilar.blogspot.com/2009/05/o-surrealismo-de-dali.html

 

 


Max Ernst, L'angelo del focolare ( 1937 )

 

http://afilosofia.no.sapo.pt/artecont.htm

 

 

 

René Magritte, O Terapeuta (1936)

 

Procurem encontrar nestes exemplos - e noutros que vos convido a espreitar para Chagall, Miró, Delvaux e muitos outros, portugueses incluídos (António Pedro, António Dacosta, Cândido Costa Pinto, Fernando Azevedo, Mário Cesariny...) - o essencial que destacámos para esta corrente, que, como vêem, continua viva e a estimular várias gerações de artistas de todo o mundo: a subversão da realidade (surreal=o que está acima, para além da realidade); o apego ao mundo dos sonhos; o apelo à fantasia, à imaginação e à liberdade completa do artista; o recurso aos "materiais" que habitam o nosso subconsciente-inconsciente, com os alçapões da nossa infância, criando imagens que, como diz o vosso manual "vão da serenidade do sonho à inquietação dos pesadelos" (Novo História 9, Texto Editores, Lisboa, 2008).

 

Espreitem:

 

http://www.historiadaarte.com.br/surrealismo.html

 

http://www.citi.pt/cultura/temas/frameset_surrealismo.html

 

http://www.suapesquisa.com/surrealismo/

 

link do postPor temposnotempo, às 13:06  comentar

 

 

         

 

 

Victor Horta, interior da Casa Tassel, Bruxelas (1892-93)

 

 

 

   

 

Casa Batló,  Antoni Gaudi (1904-1906)

 

 

 

 

 

Atenção ao Museu Arte Nova, um projecto vivo em Aveiro!

 

http://pt-pt.facebook.com/pages/Casa-Major-Pessoa-Museu-Arte-Nova-de-Aveiro/124931664189424

 

link do postPor temposnotempo, às 18:50  comentar

 

 

 

 Leonardo da Vinci, Senhora com Arminho (1485)

 

Lembram-se? Do Renascimento (sécs. XV-XVI) ... da pintura como representação da realidade... do realismo na pintura e na escultura...

 

Mas também do período da pintura Barroca (sécs. XVI-XVIII)... período de realismo exacerbado, para além de jogos famosos de luz e de teatralidade.

 

 

 

 

 

 

Caravaggio, Jogadores de Cartas (1594)

 

 

 Vermeer de Delft, Vista de Delft (1660-61)

 

 

 

 

Peter Paul Rubens, Duplo Retrato de Rubens e sua esposa Isabella Brandt (1609)

 

 

 

 

No século XIX, com o Romantismo, vão entrar em acção a subjectividade, a emoção e os idealismos... revolucionários, estéticos, de afirmação da pátria, de gosto pela Idade Média...

 

As concepções artísticas da pintura "abanam", mas a ligação essencial ao real, à realidade, permanece...

 

 

 

 

Eugene Delacroix, A Liberdade Guiando o Povo (1830)

 

 

Mas vai ser o século XIX a pôr em causa o servilismo da pintura em relação à realidade.

 

No último quartel do século as novidades vão ser muitas. Notem-nas; sintam como são revolucionárias para a pintura... como auguram tempos novos...  e rupturas definitivas...

 

 

 

 

Claude Monet, Impressão: o nascer do Sol (1874)

 

 

 

 

Vincent Van Gogh, Terraço do Café em Arles à Noite (1888)

 

 

 

 

 Georges-Pierre Seurat, Domingo à Tarde na Ilha da Grande Jatte (1884-86)

 

 

link do postPor temposnotempo, às 17:33  comentar

"Fauvismo": nome para uma das correntes artísticas que estamos a estudar, famosa a partir do Salão de Outono de 1905, realizado em Paris.

 

As "feras" ("fauves" para um crítico francês que esteve na Exposição de 1905 ) na pintura!

 

 

 

André Derain, O Porto de Colliure (1905)

 

http://6carteband2010e3.blogspot.com/2010/10/obras-de-andre-derain.html

 

 Percebe-se bem a total liberdade no uso das cores - intensas! e puras muitas vezes - e no desenvolvimento das formas. Não há quaisquer preocupações de realismo e a cor passa também a protagonista, passa a ter, também, um papel principal.

 

De toda a força expressiva que trouxeram para a pintura e que muito influenciou o seu desenvolvimento posterior, deixo-vos mais dois bons exemplos:

 

 

 

 

Henri Matisse, A Dança (1909)

 

http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/fauvismo/fauvismo-2.php

 

 

 

 

 

 

Raoul Dufy, Interior com Janela Aberta

 

http://www.conservapedia.com/Painting_Schools_Part_II

 

 

E este exemplo do muito material que, para qualquer das correntes que estudarmos, vão encontrar disponível no Youtube.

 

 

link do postPor temposnotempo, às 12:52  comentar

31.12.09

     Depois de uma (já longa) paragem o regresso e o desejo que o 2010 venha cheio de coisas boas (muito mais que as más!)!!

 

     Deixei a promessa de colocar - para os alunos do 7º ano - material iconográfico (imagens) para o megalitismo português e quero cumpri-la, agora que adivinho que vocês, por aí, já começam a sentir a necessidade de mexer nos cadernos e livros para aprontar os trabalhos que segunda já começam a ser pedidos... (adivinho?).

 

      Lembro-vos a Anta das Carniçosas (mas é trabalho vosso... um dos tais...)...

 

 

http://solagasta.files.wordpress.com/2008/10/home-pr5-ff-rota_do_megalitismo.jpg

 

 

... A Anta Grande do Zambujeiro que vimos...

 

 

http://www.iep.uminho.pt/aac/sm/a2005/elisa/images/anta%20zambujeiro.JPG

 

... a Anta da Cunha Alta, em Mangualde (óptima para se perceber melhor a estrutura e função do corredor)...

 

antadacunhamangualde1.jpg image by obelix1

 

http://media.photobucket.com/image/antas%20portugal/obelix1/antadacunhamangualde1.jpg

 

... esta outra que não consigo identificar, mas que é óptima para se perceber a função da mamôa e não só...

 

http://algarvivo.com/arqueo/antas/Anta_Geraldo.jpg

 

... o menir dos Almendres (Alentejo)...

 

 

http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/b/b6/Menir-Almendres_2.JPG

 

http://www.sal.pt/b_fotos/m1_passeiospedestres/PP_012_Menires_de_Guadalupe_008_350.jpg

 

... o menir da Abelhôa (Alentejo) e as suas decorações astrais...

 

  http://www.cm-reguengos-monsaraz.pt/NR/rdonlyres/1BB0A839-C368-438F-803B-F6BE349AC074/0/bulhoa.jpg

 

... e o resto que vão descobrir...

 

 

link do postPor temposnotempo, às 09:44  comentar


Novembro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
29
30


Novembro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
29
30


contador
subscrever feeds
blogs SAPO