Este é um blogue instrumental, feito sem veleidades. Penso nos meus alunos e na forma de o usar para lhes ser útil: experiência que se quer alimentada de experiências... e de invenções dos tempos que não temos tempo para ter...
26.9.11

 

Nada melhor do que espreitarem o que o Cinema tem feito para "dar vida" aos Dinossauros...

 

A partir dos fósseis, como já vimos, há que tentar as reconstituições, para se perceber melhor o que poderiam ter sido as pradarias e as zonas alagadiças, e... e...,

 

há 150... há 120... há 100... há 70 milhões de anos atrás!!!...

 

 

 

Este, encontrado em Espanha, andou por cá há 120 milhões de anos (leiam a notícia da descoberta):

http://www.achetudoeregiao.com.br/noticias/dinossauros0137.htm

 

 

(consoante as espécies - que foram aparecendo e desaparecendo - e as regiões do

 

mundo...)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O prof.

link do postPor temposnotempo, às 21:59  comentar

 

Algumas fotos para recordarem alguns dos fósseis que vimos:

 

 

 

 

Trilobite Dalmanites socialis (Buçaco)

http://www.notapositiva.com/trab_estudantes/trab_estudantes/geologia/geologia_trabalhos/fosseis.htm

 

 

 

 

Uma das tais Trilobites que aparecem muito em Marrocos...

http://cienciaparatodos-fs.blogspot.com/2008/12/fsseis.html

 

 

Moldagem

 

Folhas fossilizadas

http://fossil.uc.pt/pags/formac.dwt

 

 

Cientistas chineses escavam o fóssil de um dinossauro (2004)

http://ciencia.hsw.uol.com.br/dinossauros2.htm

 

 

 

http://caisdegaia.blogspot.com/2007/09/morrer-em-agonia.html

 

 

 

 

Esqueletos inteiros de 2 espécies diferentes de Dinossauros, no Museu de História Natural de Nova York:

 

 

 

O Tiranossauros...

 

 

Idem...

 

link do postPor temposnotempo, às 21:32  comentar

21.10.09

 

Digo o mesmo que deixei na apresentação do filme sobre o H. Habilis.

 

São esforços de reconstituição; os computadores e os actores ajudam e tentam ajudar-nos a imaginar como poderão ter sido vividos essas longas e longas dezenas de milhares de anos.

 

Há muito material no Youtube, mas a maioria em inglês e francês...

 

 

 

link do postPor temposnotempo, às 23:13  comentar

3.10.09

Uma vez que falámos dele querem conhecê-lo melhor, aí vai uma outra achega documental: imagens das reconstituições que os artistas especializados nestas tarefas estão prontos a realizar a partir dos registos fósseis, neste caso para o RAPTOREX.

 

No Youtube encontra-se hoje um pouco de tudo: aí vai um pequeno filme com esses trabalhos - de desenhadores, pintores e escultores - a partir do esqueleto que foi encontrado! Uma maravilha!

 

Ah! e ainda uma outra coisa: tem música! E  é óptima! As imagens repetem-se, mas a canção não!

 

 

link do postPor temposnotempo, às 23:20  comentar

2.10.09

Como o conhecimento destes répteis tão longínquos depende dos sucessivos achados fósseis - e da sua sistematização, estudo e organização, em força desde 1840, sensivelmente - surgiu há semanas nos jornais a notícia de mais uma descoberta sensacional!

 

Quer dizer: à lista já "gigante" das espécies e sub-espécies já conhecidas - espreitem na Wikipédia em

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_dinossauros

 

- vão ter que juntar os paleontólogos mais esta: o RAPTOREX KRIEGSTEINI, apresentado ao mundo em 18 de Setembro último, num artigo publicado on-line na revista Science.

 

 

 Cabeça e crânio do raptorex Foto: Universidade de Chicago/Divulgação

 

 

link do postPor temposnotempo, às 09:38  comentar

19.9.09

Nas férias estive em Arouca - norte do distrito de Aveiro - no Geoparque http://www.geoparquearouca.com

 

Objectivo: fazer uma visita ao Museu das Trilobites, em Canelas (na estrada Arouca-Alvarenga).

 

 

Estive lá já há muitos anos quando a ideia do Museu era isso mesmo: apenas um desejo, uma possibilidade, uma "ideia" na cabeça do proprietário da exploração de lousas que, diariamente, ao rebentar com os estratos dos montes, se deparava com vários exemplares de fósseis de trilobites de diversos tamanhos e espécies.

 

Devido à sua simpatia e ao meu interesse,  vim de lá, nessa altura, enriquecido com a oferta de 2 exemplares que, desde então, têm sido utilizados regularmente na escola.

 

Gostei do que vi: um museu pequeno mas muito bem organizado, com magníficos exemplares, alguns dos quais únicos no mundo!

São de lá, também, os maiores exemplares conhecidos: 30 e tal cm para cima (um dos que trouxe tem perto de 30 e está incompleto!), com o maior a medir os 56 cm, se recordo bem a indicação da nossa jovem, simpática e competente guia.

 

Deixo-vos algumas imagens do Museu e seu recheio. Mas o ideal é visitarem o site do Geo parque e alguns outros sobre o Museu e o seu recheio. Quanto ao Museu: parece que irá crescer, com a construção de novas instalações, mesmo ao lado das actuais.

 

Entretanto espreitem:

 

http://www.geoparquearouca.com/

 

http://geologia.aroucanet.com/index.php?option=com_content&task=view&id=22&Itemid=49

 

 

 

 

 

 

 

 

 

link do postPor temposnotempo, às 07:52  comentar

1.12.08

Já deixámos para trás este assunto, no 7º ano, mas têm havido dificuldades em aceder aos "sites" dos núcleos artísticos rupestres sugeridos, sobretudo para a realização das (quase mágicas!...) visitas virtuais (pois, pois, o bom era irmos lá, eu sei!...).

 

Vamos lá dar um empurrão!

 

1 -  Para a gruta de Lascaux: http://www.culture.gouv.fr/culture/arcnat/lascaux/fr/

 

 

Depois da visita - e da exploração das outras (fantásticas!) possibilidades do sítio, acedam a esta (entrem pelo L' espace et le temps, se quiserem ir para lá pelos vossos meios)

http://www.culture.gouv.fr/culture/arcnat/lascaux/fr/

 

e não esqueçam (é absolutamente "obrigatório"!!) de espreitar, com tempo, as Grutas de Cosquer I e II (a tal que agora está debaixo do mar... e tem o pinguim) e de Chauvet

(a que tem os desenhos de leões e rinocerontes a carvão, formidáveis!!).

 

2 - Para a Gruta de Altamira: http://museodealtamira.mcu.es/cueva_altamira.html

 

e não percam este pequeno filme animado (e aproveitem para treinar o vosso castelhano...):

 

http://www.youtube.com/watch?v=0F1GCtIcN4c

 

 

3 - Para os Núcleos de gravuras de Foz Côa: http://www.ipa.min-cultura.pt/coa/

 

 

entrem depois em "arte" e escolham um dos três núcleos de gravuras disponíveis (visitáveis). Depois não parem: fiquem por lá e espreitem!

link do postPor temposnotempo, às 12:21  comentar


Novembro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
29
30


Novembro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
29
30


contador
subscrever feeds
blogs SAPO