Este é um blogue instrumental, feito sem veleidades. Penso nos meus alunos e na forma de o usar para lhes ser útil: experiência que se quer alimentada de experiências... e de invenções dos tempos que não temos tempo para ter...
4.10.09

 

Mas tanto alarido em torno do RAPTOREX KRIEGSTEINI porquê?

 

 

Com frequência aparecem várias espécies novas de dinossauros. Portugal é um dos países com mais forte tradição na descoberta, estudo e classificação destes "lagartos (sauros) terríveis" (dino). Ainda em Março passado era anunciada a descoberta na Lourinhã (onde há um Museu e uma equipa de investigadores muito entusiasta e competente - http://www.museulourinha.org/pt/paleon_dino.htm - espreitem!) de mais uma espécie nova de estegossauros, baptizado com o nome científico de 'Miragaia longicollum', devido ao tamanho descomunal do seu pescoço.

 

 Sobre ele li na imprensa:    As escavações foram feitas em 1999 e 2001. Entre 2002 e 2006, os investigadores fizeram a preparação laboratorial dos fósseis, os moldes e as réplicas. O estudo iniciou-se então e ficou concluído em 2008. "O esqueleto não está completo, mas para um dinossauro é bom", adiantou ao DN Octávio Mateus, sublinhando que "o crânio está completo, o que faz dele o único crânio de estegossauro da Europa".

Em 2006 a equipa percebeu que aquele não era uma estegossauro como os outros. Este tem um longo pescoço de metro e meio, com 17 vértebras.

(http://dn.sapo.pt/inicio/interior.aspx?content_id=1173509#)

 

Mas e o Raptorex? Que tem ele de especial afinal?? Uma coisa essencial: apresenta há 125 milhões de anos atrás - época a que pertence o esqueleto encontrado - características que o T-REX que viveu 35 milhões de anos mais tarde, viria a apresentar. "É como estar a olhar para um T-rex em ponto pequeno", li no jornal "Público" de 18 de Setembro, e de lá tirei as medidas: 3 metros para o Raptorex contra os 12 do T-rex!  Uma evolução de formas e tamanhos que os paleontólogos vão ter que tentar explicar!

 

Os estudos do esqueleto encontrado na Mongólia vão pois continuar. Quando terminarem, o fóssil deste "tiranossauro" em miniatura regressará à China, onde se sabe que foi escavado de forma ilegal.

Por sorte foi parar nas mãos de Henry Kriegstein, coleccionador privado de fósseis que, percebendo as diferenças, o mostrou ao Paleontólogo norte-americano Paul Sereno, da Universidade de Chicago, que o estudou e revelou ao mundo.

 

 Espreitem-no abaixo... e ponham à prova o vosso inglês!!

 

 

 

 

 

link do postPor temposnotempo, às 22:51  comentar

Outubro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


Outubro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


contador
blogs SAPO