Este é um blogue instrumental, feito sem veleidades. Penso nos meus alunos e na forma de o usar para lhes ser útil: experiência que se quer alimentada de experiências... e de invenções dos tempos que não temos tempo para ter...
24.2.09

cruzeiro_seixas.jpg

Dizia-vos na aula que o Surrealismo está vivo.

 

Exemplos para um dos fundadores do surrealismo português e um dos nossos mais importantes pintores e poeta: Cruzeiro Seixas (1920)

 

 

Era um pássaro alto como um mapa
e que devorava o azul
como nós devoramos o nosso amor.

Era a sombra de uma mão sozinha
num espaço impossivelmente vasto
perdido na sua própria extensão.

Era a chegada de uma muito longa viagem
diante de uma porta de sal
dentro de um pequeno diamante.

Era um arranha-céus
regressado do fundo do mar.

Era um mar em forma de serpente
dentro da sombra de um lírio.

Era a areia e o vento
como escravos
atados por dentro ao azul do luar.


cruzeiro seixas
em "áfricas", 1950,
poema integrado no 1º caderno do centro de estudos do surrealismo,
da fundação cupertino de miranda, de vila nova de famalicão
in público, sábado, 2 de dezembro de 2000

(in http://canaldepoesia.blogspot.com/2008/10/cruzeiro-seixas-poema.html)

 

 

link do postPor temposnotempo, às 18:23  comentar

De Anónimo a 24 de Fevereiro de 2009 às 22:05
Força nisso stor . esta a fazer um ganda trabalho :D

o numero quatro da sua turma b

Fevereiro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12
13

15
17
18
20

22
25
26
27
28


Fevereiro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12
13

15
17
18
20

22
25
26
27
28


contador
blogs SAPO